Home » Coração Apertado by Marie NDiaye
Coração Apertado Marie NDiaye

Coração Apertado

Marie NDiaye

Published 2010
ISBN :
Paperback
272 pages
Enter the sum

 About the Book 

Leia de uma vez só (Ronaldo Bressane, Brasil econômico)A escritora Marie NDiaye foi ganhadora do Prêmio Goncourt em 2009, o mais prestigiado das letras francesas, e há onze anos não atribuído a uma mulher. Com uma linguagem e atmosfera que lembram o melhor de Kafka, Coração Apertado é um romance perturbador, narrado em primeira pessoa pela protagonista Nadia.Ela e Ange são um casal de professores de escola primária no interior da França, extremamente dedicado a seu ofício. De uma hora para outra, começam a notar que seus vizinhos, alunos, colegas e desconhecidos passam a olhá-los e tratá-los de modo diferente e violento, sem um motivo aparente. Já no início da narrativa, Ange é ferido e seu corpo passa por metamorfoses visíveis – outro acento kafkiano.Com uma escrita sóbria e densa, Marie NDiaye cria um suspense apavorante, com toque de humor ferino e dilacerante, que não se desvia das tensões sociais da França de hoje. Nas palavras de Beatriz Bracher, que assina o texto de orelha da edição, “Coração apertado é surpreendente e terrível até o final”.Parte do texto da orelha:Coração Apertado é surpreendente e terríve até o final. Um dia depois de terminar de ler este livro, você será uma pessoa mais feliz do que um dia antes de ter começado a lê-lo e, certamente, mais feliz do que enquanto o estiver lendo.A escritora francesa Marie NDiaye é límpida e elegante, sem qualquer afetação. Nada parece ter sido escrito com o intuito de chocar ou confundir. O medo que pulsa aqui não é feito de frases curtas e cenas chocantes, é construído com frases completas que fluem tranquilas. Deslizamos para dentro de uma cidade cada vez mais amorfa, sem arestas que justifiquem o nosso estranhamento.[...] O pânico e a vergonha de Coração Apertado são de uma origem delicada e perversa. Delicada porque você não sabe se já de fato o que temer, ou se o problema está em um desajuste na percepção da realidade. Do que Nadia, a narradora, se envergonha? O fato de sentir-se inocente aumenta seu mal-estar, o motivo das hostilidades pode estar em qualquer parte, no corpo gordo, no amor excessivo, e talvez orgulhoso, à profissão. Por que o marido foi ferido? A farmacêutica não lhe vira o rosto, como os outros, vende as gazes necessárias para limpar a ferida no abdômen do marido, pois acredita que não é assim que as coisas devem ser resolvidas. Assim como?, pergunta Nadia. O que fizeram com ele? Não foi um acidente? Nadia intui que a mulher não sabe o que de fato aconteceu. E quem sabe?Pervesa porque, sendo informe, transforma os mecanismos de defesa em células de ataque, os motivos para censurar e punir vão sendo construídos por seu próprio medo, por sua vergonha ancestral. E não sabemos mais em que conversa estamos sendo embalados, na de uma vítima que não entende nada, ou na de um pequeno monstro cada dia mais perigoso por causa do cerco que se fecha ao seu redor.[...] Coração Apertado tem lances fantásticos e é profundamente realista. Este ambiente duplo, que não tem nada de ambíguo, vem da sobriedade original e densa da escrita de Maria NDiaye. É uma escrita sem brincadeiras ou firulas, não há trilha sonora banal, o suspense, que existe, e a fantasia apavorante são perfeitamente reais, limpas e muitas vezes engraçadas, de um humor felino e dilacerante.(Beatriz Bracher)TRADUÇÃO: PAULO NEVES